O psicodélico mundo das mães que não dormem

Era um dia normal, tirando o fato de que fazia três meses que não dormia duas horas seguidas.
Me deitei como sempre às 23 horas, e Helena dormia. E é deste ponto que começa a aventura.
Acordei às oito da manhã sem a calça do pijama, com a camiseta suja de geleia e leite escorrendo pelo pescoço. Estava sentada na beirada da cama segurando um bebê imaginário e balançando.
Não lembro absolutamente nada naquela noite: quantas vezes acordei, o que fiz, o que comi, porque acordei com a sensação de que havia alucinado.

Então imaginem como me senti quando um dia na fila da loja de roupas no shopping, vi uma moça com seu bebê no colo, chorando. Algumas lágrimas escorriam do canto do olho, ela segurava dois pares de roupa de criança e estava visivelmente esgotada. Quando encostei no braço dela e disse que um dia estive numa situação parecida, ela apenas desatou a chorar na loja e nós ficamos lá, chorando, com um bebê, sacolas e um monte de gente olhando.

Ninguém sabe dessa história porque ela nunca havia me autorizado a conta-la. Nem meu marido ou familiares sabem que nos sentamos depois numa sorveteria e ela me contou que fazia seis meses que não dormia, que o bebê só queria mamar e colo. Que ela se sentia drenada, exausta, que vivia irritada e não sentia que havia solução ou que poderia falar sobre isso francamente. Porque, veja bem, ela amava o filho, amava ser mãe e planejou engravidar por anos, mas nada, nada nesse mundo poderia tê-la preparado para o desafio que seria ficar tantas noites sem dormir.

E eu sei exatamente como é isso e tenho certeza que outros milhares de mães também sabem.

Passei exatos onze meses buscando na internet dicas de como fazer Helena dormir. Tentei rotina do sono, banho antes de dormir, massagem, tomei litros de chá de camomila, ouvi todos os conselhos: mãe, sogra, tia, moça do blog, mulheres do grupo, enfermeira e pediatra. Acredite, tudo que lia, e não achava absurdo, ganhava lugar na minha lista de tentar fazer Helena dormir.

E o motivo de escrever este texto é que vai fazer um ano e nove meses que não durmo uma noite inteira.
O primeiro ano aqui em casa foi uma loucura. Revezamos, a madrugada era minha e a manhã e parte da tarde pertencia ao Marcelo, criamos táticas para tentar cozinhar, limpar, cuidar e trabalhar nessa rotina caótica. Muitas vezes ouvimos críticas, pitacos e ninguém nunca entendia como sempre vivia cansada, com sono, porque dormia até tarde.

É normal nesse caminho de amamentar exclusivamente e em livre demanda ouvir que você está mimando. Que “a criança não dorme porque vocês não dão limite”. E foi numa dessas que deixei de acreditar que minha filha ou nós tínhamos um problema.

O problema está em calejar bebês com choro até que eles entendam que devem dormir sozinhos, rápido e a noite inteira. É normal um recém nascido acordar dezenas de vezes durante a madrugada pedindo colo, peito ou apenas para ouvir a voz da mãe. Também é normal crianças de dois, três anos, não dormirem a noite inteira.

E está tudo bem você falar sobre isso. É exaustivo, é absurdamente irritante por vezes e nessa caminhada dá dúvida. Poxa, nós não lembramos da época que éramos bebês, só conhecemos a realidade de noites de sono profundo, então parece imensamente errado e preocupante um pequeno ser que chora a todo momento.

Li um texto semana passada que falava exatamente sobre o peso de não poder externar angústias porque o mundo, e principalmente aqueles que não tem ou querem filhos, acreditam que aquela mulher que se tornou mãe não queria um filho ou não entendeu que ter um bebê tinha tudo isso, portanto, faça silêncio.

Um dia fui parar no hospital. Estava ficando doente toda semana e consegui chegar ao ponto de cair de exaustão. Helena não queria o pai, a avó ou quem quer que seja, ela me queria e eu estava lá. Naquele dia percebi que não estava mal por acordar várias vezes de noite, mas que não conseguia dormir mesmo com minha filha dormindo e vivia irritada porque realmente acreditava que tinha algo errado.

Um dos dias mais felizes e libertadores da minha vida foi quando me perguntaram se Helena dormia a noite inteira e respondi que não. Helena não dorme uma noite inteira e é terrível isso às vezes, mas estamos bem, é uma fase e a acolhemos como é.

Mas você já falou com o pediatra? Falei. E já procurou ajuda? Procurei. No fim percebi que meu melhor amigo mora aqui dentro e se chama instinto.

Quando ela tinha onze meses me aboli das amarras do medo de minha filha ter algum problema e coloquei uma cama de solteiro do lado da minha e ela começou a dormir conosco. Acordamos todas as vezes que ela chamou, passei madrugadas amamentando e lendo livros enquanto isso. Desisti de tentar controlar a rotina que acreditava ser a ideal e fiz a minha rotina, aquele que se aplicava a minha família.

Nunca mais tomei aquele chá de camomila nojento ou chorei de desespero todos os dias, por solidão, por ter medo de dizer que estava ficando meio doida. E quando parei com tudo isso encontrei a solução: nos adaptamos a quem nos transformamos com a chegada da nossa filha e aceitamos que bebê é um ser humano, ou seja, diferente. Com hábitos, personalidade e peculiaridades.

E com isso agora, com um ano e nove meses, nossa filha dorme oito horas muito bem. Acorda duas ou três vezes para mamar, quando o dente está nascendo quer ficar brincando às três da manhã, mas são raras as ocasiões que sentimos o gosto daquela exaustão. Criamos o hábito de deita-la na cama e ficar ali, só com a presença, esperando ela dormir e isso nunca mais passou de dez minutos no máximo.

Hoje nós terminamos de arrumar o quarto novo onde ela irá dormir sozinha, e podemos dar tchau, até logo, para esta fase e esperar as próximas.

E quando alguém te falar que seu filho não dorme a noite inteira porque você é azarada, educa errado ou que precisa deixa-lo chorar no berço, mande essa pessoa pastar. Exatamente.

No psicodélico mundo das mães que não dormem as regras tocam com a música da casa.

32 Comments

  1. 2 anos sem dormir mais do que 4h seguidas. Com 1 ano acolhi isto e a loucura que vem disso. Tenho Ctza que estou certa. O mundo já está acostumado a pastar, então tem que mandar os palpiteiros pastarem mesmo.

  2. Lindo, Lindo e lindo e exatamente isso… fui contra a pediatras que me falavam que teria que deixar no berço chorando, fui contra ao pediatra que pediu pra da noite pro dia eu tirar o peito, fui contra aos palpiteiros de plantão que falavam que tinha que dar mamadeira antes de dormir… e aquela mães que falam que amamentam e o filho dorme a noite inteira acabei descobrindo que e mentira que se a criança não toma o complemento ela vai acordar e como optei por dar só peito ele acorda e que a mal nisso… enfim troquei de pediatra pra seguir o que eu acredito que eh o melhor pro meu filho… cansada sim mas sei que faco o meu melhor…

    • O meu mama só no peito e dorme a noite toda. Acho que isso TB é uma característica de cada bebê.

    • Minha filha mamou exclusivo até os 6 meses e mama até hoje, com 2 anos e 2 meses…mas sim, ela dormiu uma noite inteira com 2 meses e meio. Depois que voltei a trabalhar, voltou a acordar várias vezes a noite e de vez em quando, ainda acorda. Mas faz parte! Cada criança com seu ritmo.

  3. Só posso dizer obrigada por escrever esse texto, meu filho tem 1 ano e 1 mês, queria ter lido esse texto antes!

  4. Por uma vida sem neuroses… minha pequena agora dorme pouco, quer apenas um cololinho na madrugada e eu dou. <3

  5. Vc escreveu pra mim, né? Fala sério. Mãe e filha dizem: Obrigada, obrigada, obrigada.

  6. Minha filha tem 7 meses e meio e desde os 3 e meio deixou de dormir super bem e passou a acordar de hora em hora e querer o peito a noite toda. Como a cama compartilhada não era uma opção possível aqui em casa, aceitei a realidade e aprendi a dormir sentada na poltrona de amamentação. Faz 4 meses que não sei o que é passar uma noite na horizontal. Estou moída. E ainda assim, muito bem, obrigada.
    Neste momento, sentada com a bebê dormindo no peito, me senti abraçada com esse post.
    Obrigada!

  7. Tenho dois filhos, um de 5 e outro de 3. Posso dizer que passei mais de 4 anos da minha vida sem dormir a noite inteira sem levantar nenhuma vez! Não me recordo quantas vezes fingi que não percebi os olhares e reações adversas até mesmo de pessoas da família quando sabiam que meia filhos ainda acordavam a noite ou que eu deixava que eles dormissem na minha cama! Além de já ter presenciado algumas vezes mães contando mentiras sobre hábitos de sono de seus bebês só pra “sair bem na fita” ou passar inveja em outras mães! Absurdo total! Nunca menti ou escondi essa característica da minha família, sempre encarei como passageira. E hoje posso dizer que sim, eu durmo e noite inteira! É claro que algumas vezes tenho visitas noturnas em minha cama ou que algumas noites até mesmo dormindo eles me chamam e tenho que levantar e ir até o quarto deles. Mas posso dizer que agora isso é a exceção, não a regra. Às mamães que ainda vivem noites interrompidas, não se estressem, essa fase passa, há luz no fim do túnel! 😉

  8. Meus filho só passou a dormir melhor depois de fazer auriculoterapia, acupuntura e depois que mandei regras pro espaço. Ele tende a dormir mais rápido vendo televisão. Já conseguimos dormir cinco horas seguidas e comemoro isso com fogos dentro de mim. Muitos apareceram me criticando porque maternidade não impede a pessoa de se cuidar, me acabei com esse hábito do pequeno. Ele fez três anos há alguns dias.

  9. O meu está só no peito e dorme sim a noite inteira! Acho que cada bebe tem seu momento e suas características!!! Ele está com três meses. O meu primeiro filho tb foi assim. Vai de cada um mesmo…. O importante eh passarmos tranquilidade a eles.

  10. Meu filho tem 3 anos e meio e até agora eu não dormi uma noite toda. Cheguei a chorar quando li este texto. Não dormia quando ele era bebê porque ele tinha cólicas horríveis e nenhum médico descobria porque. Depois porque ele chorava mesmo e sempre acabava dormindo no meio de nós e agora porque ele toma bastante água durante o dia e faz xixi a noite de 3 em 3 horas.
    Estou cansada de ouvir todo mundo tentar me ensinar como educar meu filho. Ouvir os outros dizerem que mimo ele demais. Que não devo levantar pra fazer ele fazer xixi, que ele tem que ficar 8 horas sem ir ao banheiro e dormindo seguido… Já me falaram inclusive que não devo dar água pro meu filho, pra não ter que levantar a noite pra ele fazer xixi. É mesmo o cúmulo.
    Que falem o que quiserem. Só tenho ele de filho… E também não terei mais ( não por opção)… Então sempre que ele necessitar se sentir seguro, sempre que ele tiver um pesadelo, sempre que ele quiser ir ao banheiro ou tomar seu leitinho de madruga, vou acordar, afinal a infância dele não vai durar a vida toda e eu quero aproveitar essa fase com muito amor…
    Se eu não fico cansada… Fico exausta… Tem dias que tenho vontade de não ir trabalhar e ficar dormindo enquanto ele está na escola… Mas não posso fazer isso…
    Então vou coordenando meus dias e minhas noites, descansando quando posso e aproveitando todos os momentos que tenho com ele, nem que esses momentos sejam numa madrugada fria ao pés do sanitário no banheiro…
    Beijos mães maravilhosas!!!

    • Kacia, esqueça tudo que dizem que é certo. Coloquei uma cama de casal no quarto da minha filha e só tirei a fralda da noite agora, com 3 anos 9 meses. Sempre que ela pede eu durmo junto. Tem três meses que ela começou a dormir a noite toda.
      Penso que um dia vou morrer de saudades dessas noites abraçadinha com minha miudinha, contando estorias e cantando, então vale aproveitar cada momento, mas como uma cama bem confortável.

  11. Já falei na Livre Maternagem e vim falar aqui também. OBRIGADA!!! Esse texto veio na hora mais oportuna.

  12. Vanessa de Paula Mondin Martins

    28 de maio de 2015 at 14:32

    Perfeito!!!

  13. Minha filha acorda várias vezes durante a noite porque além de mamar, usa meu seio de chupeta. Não consigo que ela durma no berço, aliás, ela não dorme mais que uns 15 minutos seguidos durante o dia se eu não estiver ao lado dela. Toda noite ela faz um escândalo quando vou tomar banho e o pai quer que eu a ensine a ser mais independente de mim mas eu não consigo. Vê-la chorando pedindo meu colo e não atendê-la é muito sofrido e é o que todos mandam eu fazer. Estou exausta, gostaria sim de ter uma solução, mas não me arrependo de dar a ela todo o meu tempo e carinho.

  14. Tenho gêmeos de 2 anos…. Lutei contra dormirem comigo por muito tempo.., tive crises de cansaço , desmaiei de stress e agora dormem nas suas camas e vem pra minha toda noite…. Cansei de seguir regras loucas, de impor coisas, de tentar mil coisas e de tempos em tempos desmaiar mesmo, apagar por não ter forças. De ir no médico e ouvir: você ta cansada, são os filhos …. Hoje fizemos o que é melhor ora gente…

  15. Isso tem sido decisivo para decidir que Heitor será filho único. Sem chance de voltar atrás nessa decisão.

    • meu primeito filho nao dormia de dia sem minha presença, e a noite ate q dormia bem, mas demorava muito a pegar no sino, quase nao tive o segundo, minha menina dirme muito bem de dia, tira sonecas dd ate 4 horas e nao sao todas as noites, mas em myitas dorme a noite toda, e se nao dorme acorda em intervalos lingos, e dormimos juntas ate a s 10, 11 da manha aos finais de semna, de semana acordamos aa 9 por conta do filho mais velho, com o filho 1 ei deixei ate de sair por conta do sono dele, com ela fiz o contrario, me libertei de regras e amarras e estamos bem melhor

  16. Carol Fernandes

    29 de maio de 2015 at 22:32

    Maravilhoso esse texto nunca menti sobre o sono do Tony ele tem 1 e 5 meses e acorda pelo menos três vezes a noite mama e todos me criticam simplesmente ignoro e assim vamos vvivendo felizes e sem neuroses

  17. Adorei!!! Na minha casa penei muito por causa do sono das meninas. A diferença de idade entre elas é de oito anos e com isso aprendi muito, especialmente a ligar o botãozinho “tô nem aí” para a opinião de terceiros. Se a gente aprende isso logo tudo fica muito mais fácil!

  18. Eu demorei 1 ano e dois meses para dormir uma noite inteira, meu filho tirava cochilos e acordava a cada 20 minutos, quase enlouqueci, o texto explica exatamente o que passamos em casa.
    Minha mãe dizia ” credo filha eu criei 4 filhos e nunca passei coisa igual ”

    Ahh .. Agora lendo o texto percebo que não estava sozinha ..
    Hj meu filho já tem 14 anos, é claro filho único , não teria coragem de passar por tudo outra vez .

  19. Vanessa Schlichting

    16 de julho de 2015 at 04:35

    Me sinto assim. Esgotada. Meu bebê tem quase 5 meses, é muito irritado, não dorme bem e resmunga quando dorme. Passo esses poucos momentos buscando respostas. Já falei com pediatras, já segui várias dicas, e nada… E agora, buscando na internet, em plena madrugada, os olhos fechando e a cabeça explodindo, me deparo com seu relato. É muito, muito difícil exteriorizar essa frustração por medo de julgamentos. Sempre guardei pra mim e, no máximo, converso com meu marido, que me ajuda nessa luta diária que é não dormir. Passo noites e noites em claro, meu marido trabalha de madrugada e, quando ele chega, eu tento tirar um cochilo, e ouço da minha mãe (que mora comigo) que eu sou preguiçosa, afinal reclamo, mas “durmo até tarde”. Eu estava a ponto de surtar. Já passei noites chorando… Dias chorando… Perdida, achando que sou inútil, pois não consigo lidar com a situação, e não consigo faze-la melhorar. Mas, depois de ler o que vc escreveu, me sinto mais tranquila e mais mãe. Sei que ainda vai ser difícil, mas me conforto por saber que não estou sozinha. Obrigada por compartilhar sua experiência.

  20. Obrigada!
    Simplesmente obrigada por colocar em palavras aquilo que tanto me aflingiu, ainda existem resquícios dessa fase. A depressão, o mal humor, a irritação…

  21. Estou na quarta gestacao. Meus 3 filhos mamaram em LD e fiz cama compartilhada pois nao era possivel levantar 14 vezes por noite pra amamentar.
    Ja ouvi de tudo: que é pra dar mamadeira; que é pra deixar chorar até eles cansarem.
    Como disse uma amiga: ‘entuba que dói menos, um dia eles dormem”…
    Entubemos!

  22. Amei seu blog e sua forma de expressão! Vou ler mais! GRATIDÃO pela representação!

  23. Quase quatro anos sem dormir… primeiro porque ela não dormia, mas depois de três anos e meio foi porque meu metabolismo ficou louco. Tem uns três meses que passei a dormir melhor, mas houve fases em que quis me separar do meu marido, por ele não compreender porque eu estava tão irritada, afinal ele dormia a noite toda, quem acordava para cuidar e amamentar era eu e ainda tinha que ouvir esse tipo de coisa “você está estragando essa criança, tem que deixar chorar no berço.”
    Hoje ela é um menina de quase quatro anos, como toda criança ainda acorda na madrugada e gosta mesmo de dormir comigo. resolvi isso colocando uma cama de casal no quarto dela, assim fico junto e conto estorias até o sono chegar e deito junto quando um pesadelo a acorda.
    Amor, carinho e confiança não faz mal para ninguém.

  24. Obrigada. Precisava ler isso.

  25. Manoela Alcântara

    13 de abril de 2016 at 11:37

    Gente, esse texto é libertador! Obrigada a quem escreveu, e coração! Tenho vontade de dar um grande abraço em cada uma de vocês. Meus olhos até se enchem de lágrimas. Obrigada! Força pra nós, e amor, muito amor!

  26. Eu tbm estou nessa luta contra o sono..minha bbe tem dois meses nao dorme a noite!!nesse momento meu marido saiu do quarto e foi dormir em outro .
    De tanto ficar conversando e emplorando q minha vidinha rosa dormisse logo..mais e inutil ela so dorme chupetando meus seios ..e quando acaba o leite de tanto q ela mama..abre a boca e chora e grita ..e amanhecemos todo dia assim.
    Levantando,trocando,amamentando, cuchilando,suçando e ela chorando.aii quando vejo ja deu 4:00 da manhã!Hora de levantar estou cansada e exausta mais apaixonada pelo meu bolinho de gente q amoo muito.

  27. Meu filho sempre dormiu bem a noite toda, não tive problemas de ficar acordada. Mas acho q isso é uma característica de cada criança. Criei uma rotina de colocá-lo no berço para dormir sozinho desde os 2 meses e meio, deu certo. Após o meu retorno ao trabalho, após os 6 meses, ele gostava de dormir no colo e depois o colocava no berço. Na fase dos 2 anos e meio eletrônico acostumou dormir conosco na cama, no início achei estranha essa história, mas depois pensei.. ah, que não há nisso? Já já essa fase passa e o meu bebé cresce! E sabemos o quão delicioso é ouvir que o bebê quer a mamãe, ou quer o papai!! Enfiiim, hj com 3 anos e 1 mês ele continua dormindo no seu bercinho… e digo: qual a maneira correta? A maneira que achamos q é e a maneira que eles ficam bem… Eles ficando bem, ficamos bem também. Bjs a todas as mamães!!

  28. Passou um filme na minha mente.😟 Meu filho tem 7 anos e ainda acorda duas ou três vezes por noite, nada comparado a um passado desesperador: até os 9 meses ele dormia alguns minutos e ficava acordado horas. Naquela epoca não utilizava internet e não tive essa oportunidade que vocês _mães_ tem hoje. Sofri muito achando que o erro era meu mesmo fazendo tudo certo. Tenho aconselhado minhas amigas: siga seu instinto e faça o necessário para ter momentos felizes com o seu bebê. Afinal, do que adianta fazer tudo certo e acabar não conseguindo cuidar do filho por estar doente?😬

Deixe uma resposta

© 2017 Não pule da janela

Theme by Anders NorenUp ↑